Juazeiro sedia Semana de Celebração dos 25 Anos do Irpaa

18:07 - Não comentado

Os 25 anos de trabalho do Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada – Irpaa em defesa da Convivência com o Semiárido será celebrado no período de 14 a 18 de abril, com uma programação diversificada que acontecerá no Centro de Cultura João Gilberto e no Centro de Formação D. José Rodrigues, em Juazeiro (BA).

Agricultores/as, organizações parceiras e demais convidados/as irão participar de mini-cursos, seminários, painéis de trocas de experiências, Feira de Saberes e Sabores do Semiárido, além de shows, apresentações culturais e celebração religiosa. Durante o evento haverá também lançamento do vídeo institucional e de publicações da entidade e de outros autores.

Toda a programação, que terá início dia 14 (terça-feira) às 19:30h, foi pensada para festejar não apenas o aniversário da instituição, mas toda a Caminhada em defesa da Convivência com o Semiárido, considerando o protagonismo das comunidades e das famílias que acreditaram e passaram a vivenciar na prática esta proposta.

Estarão presentes nos espaços de discussão, representantes das comunidades acompanhadas pelo Irpaa ao longo dos anos, bem como organizações da sociedade civil, instituições de ensino e pesquisa e órgãos dos governos municipais, estadual e federal que se relacionam com o trabalho do Irpaa.

Ao longo dos dias, haverá também uma vasta programação cultural, com destaque para grupos populares regionais de música, capoeira, hip-hop, repente, samba-de-véio, teatro, dança, cordel. A Feira de Saberes e Sabores que acontece nas noites dos dias 15 e 16 e o show cultural na noite do dia 18, ambos no Centro de Cultura João Gilberto, serão abertos à sociedade em geral.


Histórico

O Irpaa é uma Organização Não Governamental fundada em 17 de abril de 1990, tendo como presidente D. José Rodrigues de Souza, bispo de Juazeiro no período de 1975 a 2003. Nos seus primeiros dez anos de existência o Irpaa tinha com objetivo divulgar a proposta de Convivência, já na segunda década se debruçou sobre a consolidação da mesma. Nesses 25 anos, somando-se a outras organizações, uma das prioridades vem sendo a defesa de uma Política Nacional de Convivência com o Semiárido.

Dentre as principais conquistas, a instituição celebra a participação na criação de Redes como Articulação do Semiárido brasileiro (Asa), Rede de Educação do Semiárido brasileiro (Resab), Articulação Popular São Francisco Vivo, além da participação ativa em outros espaços importantes como o Fórum Baiano de Agricultura Familiar, Rede de Ater, Articulação Nacional de Agroecologia, Colegiado do Território Sertão do São Francisco, entre outros. Conselhos municipais, estaduais e nacional como o de Desenvolvimento Rural, Segurança Alimentar, Meio Ambiente, entre outros, também contam com representação do Instituto.

O incentivo à criação de associações, grupos produtivos e Cooperativas, a exemplo da Coopercuc, faz parte da história do Irpaa, que enxerga o potencial da Caatinga e preza pela valorização do modo de viver das comunidades do Semiárido. A execução de programas de acesso à agua nas comunidades rurais e a realização de eventos de formação como a Escola de Convivência com o Semiárido, somam-se a uma série de outras ações da entidade em diversas regiões do Semiárido brasileiro.

A celebração de aniversário do Irpaa teve início em junho de 2014 e seguiu durante os últimos meses com a realização de ações e eventos no Sertão do São Francisco, a exemplo de sessões especiais nas Câmaras de Vereadores e entrevistas nos meios de comunicação da região. Nos próximos meses ainda haverá programações alusivas ao aniversário.



Pascom-Remanso, texto: Comunicação IRPAA

Leigos da PL de Remanso participam do encontro diocesano de liturgia

15:07 - Não comentado
Nesse último final de semana, entre os dias 10 a 12 de abril, foi realizado um encontro diocesano de liturgia, no Centro de Treinamento de Lideres (CTL) em Carnaíba do Sertão, Juazeiro-BA. O encontro foi assessorado pelo leigo formador e coordenador da liturgia da paróquia Nossa Senhora da Conceição da Diocese de Mossoró-RN Rodrigo Éder, e coordenado pelo Padre José Erimateia (pároco da paroquia São Joao Batista – Uauá-BA) e a equipe diocesana da Pastoral Litúrgica.

Quase todas as paroquias da diocese de Juazeiro-Ba participaram, tendo a presença de cerca de 80 pessoas. Quatro leigos da nossa paroquia estiveram presentes durante os 3 dias de formação, Tiago representando os comentaristas, Yonne representando os salmistas e corais, Valdice representando a equipe de liturgia infantil e Michel -  membro da equipe diocesana de liturgia – representando os leitores.

O encontro foi norteado com o tema: ASSEMBLEIA CELEBRANTE E MINISTÉRIOS LITÚRGICOS. A formação foi dinamizado de momentos formativos, vivencias, celebrações, oficinas, laboratórios e partilhas de experiência.

Já dizia o Frei Alberto Beckäuser: “A Liturgia não nos pertence... ela é de Deus,  dom oferecido à humanidade por  Cristo e em Cristo. Não somos nós que a fazemos, ela é que nos faz. Não a possuímos, é ela que nos possui... devemos  deixar-nos conduzir por ela...”

O QUE É LITURGIA?

A palavra Liturgia vem de Origem grega: LIT (povo, comunidade) e URGIA serviço, obra, ação. A liturgia transporta a Bíblia da situação de Palavra-memória para a situação de Palavra-operadora de salvação.

LITURGIA: OBRA DA SANTÍSSIMA TRINDADE
Deus Pai – CRIAÇÃO
Deus Filho – SALVAÇÃO
Deus Espírito Santo – SANTIFICAÇÃO

O assessor expôs que os vários ministérios litúrgicos ajudam no fortalecimento do povo sacerdotal real que anuncia o Ressuscitado por meio da celebração Eucarística. Acolhida / Leitores / Salmistas / Cantores / Instrumentistas/ Organizadores dos espaços celebrativos / Sonoplastas / Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão Eucarística / Acólitos / Comentaristas / Assembleia e Presidente.

Segundo o Padre José Erimateia para o ano que vem, fica a proposta da temática do encontro diocesano ser sobre Música.

O encontro foi avaliado com positividade e concluiu-se com a Celebração da Santa missa presidida por D. José Geraldo e concelebrada pelo padre José Erimateia.




Pascom-Remanso, com fotos de Clara e texto de Michel



Diocese de Juazeiro realiza encontro com coordenadores paroquiais e regionais da pastoral catequética

14:45 - Não comentado
Nos dias 10 e 11 de abril de 2015, foi realizado um Encontro com os Coordenadores Paroquiais e Regionais da Pastoral Catequética da Diocese de Juazeiro.

Maior parte das paróquias da Diocese participou, tendo a presença de cerca de 30 pessoas. O encontro em sua primeira parte foi feita uma revisão do Plano Diocesano de Catequese (2014/2016), para que assim possa dar continuidade ao que foi programado. Também foi dado inicio a organização da I Romaria Diocesana dos Catequistas, que acontecerá em Setembro de 2015 em Juazeiro. Encerando então com apresentação do anexo: sobre as orientações e normas para os sacramentos e vestes.

"O Encontro foi proveitoso e satisfatório, por que teve muitos momentos de integração, partilha e animação entre os participantes. Além de saber como estava o andamento do Plano Diocesano de Catequese em cada Paróquia e Regional." afirmou Maria do Carmo Rodrigues - Coordenadora Diocesana de Catequese.

O próximo encontro será entre os dias 13 e 14 de novembro, no Centro Diocesano de Pastoral em Juazeiro.


A avaliação do encontro foi muito positiva e os participantes formaram uma unidade, pois sentiram mais confiantes e fortes para seguirem na caminhada. A Equipe Diocesana de Catequese agradece a todos pela participação e integração neste encontro.



Pascom-Remanso, informações da Pascom da Diocese.

ARTIGO: Partilhando Experiências

15:09 - Não comentado
Estamos vivendo a Quaresma, que é um período muito importante na Igreja católica. Tempo de preparação para a Páscoa do Senhor em que somos convidadas/os a olhar para dentro de nós mesmos para o exercício da oração, penitência, caridade e missão. Rever nossos propósitos e renovar nossas vidas para nos identificarmos cada vez mais com Jesus, que se entregou totalmente à humanidade. Nós também somos chamadas/os a fazer essa entrega generosa aos irmãos, sobretudo aos mais necessitados.

A Campanha da Fraternidade interage com a Quaresma e quer ajudar-nos a aprofundar, à luz do Evangelho, o diálogo e a colaboração entre a Igreja e a Sociedade – propostas pelo Concílio Ecumênico Vaticano II – como serviço de edificação do Reino de Deus, no coração e na vida do povo brasileiro.

Neste sentido, participamos direto ou indiretamente de atividades promovidas pelos movimentos sociais e entidades do nosso município como:

A comemoração do dia Internacional da Mulher através da VI Feira Cultural e Saúde da Mulher, realizada pela  Rede de Mulheres de Remanso, com apoio de parceiros locais, no dia 11/03. O tema desse ano foi “Mulheres na defesa de uma alimentação saudável”, com o objetivo de despertar nas mulheres e nas famílias a importância de se produzir e consumir alimentos saudáveis, já que a mulher tem um papel fundamental na educação alimentar da família. A Feira também promoveu a realização de diversas oficinas, consultas médicas, atendimento odontológico, exames e atividades culturais durante todo o dia.

No dia 12 de março, foi realizado um seminário em comemoração aos 25 anos do SASOP (Serviço de Assessoria a Organizações Populares Rurais),  entidade onde uma das leigas trabalha. Este foi um momento de celebrar e de refletir sobre o caminho percorrido, qualificando a sua intervenção junto às comunidades rurais e entidades parceiras, além de avaliar os resultados de suas ações e os rumos da entidade e do movimento agroecológico em meio a atual conjuntura. Também foi um momento de lançamento da Campanha Consumo Consciente e Saudável e reflexões sobre as Conquistas e Desafios das Políticas Públicas de Promoção da Agroecologia.

Estamos vivendo a experiência do trabalho Pastoral na Vila Matilde, onde depois de um tempo de visitas, oração e escuta das famílias percebemos a necessidade de ajudar a comunidade a assumir mais os trabalhos de evangelização, pois até então sempre tem sido pessoas de fora que se dedicam à catequese, às celebrações e outros. Para isto, foi realizada uma reunião no dia 21/03, onde as pessoas presentes partilharam o que já existe na comunidade e o que precisa melhorar. Ficou marcada outra reunião para o dia 11/04/2015 para juntos fazermos um planejamento para formação e organização da Comunidade

Tivemos também nosso dia de espiritualidade no dia 14/03 com o tema da Reconciliação. Momento de oração, onde rezemos dando olhando para dentro de nós mesmas, pois a reconciliação deve acontecer primeiro conosco mesmas (os). Estamos participando com a comunidade dos encontros da C.F, Celebrações e Vias Sacras, momentos que nos ajudam a refazermos nosso caminho com Jesus para com Ele Celebramos a Páscoa da Ressurreição.


                      Feliz Páscoa Para todas (os) !!!  LLPP’s de Remanso Bahia


Pascom-Remanso. Texto Leigas do Pequeno Projeto.


BLOCO DA FAMÍLIA 2015

10:32 - Não comentado

Pode ir se preparando pra tirar o pé do chão, porque o “Bloco da Família” remansense está chegando. Pelo quinto ano o Bloco da Família desfilará no circuito oficial da Micareta (carnaval fora de época) de Remanso.

Sucesso desde o primeiro ano de desfile, o Bloco da Família já é tradição no carnaval fora de época de Remanso.

O Encontro de Casais com Cristo – ECC, junto com as diversas Pastorais, Grupos e Movimentos convidam você e sua família a fazer parte desse bloco.


E aí?! Será que dá pra perder o Bloco da Família no Carnaval de Remanso? Claro que não! Chame a galera e venha “brincar” com energia e animação. Garanta seu abadá através dos casais do ECC e com as Pastorais, Grupos e Movimentos da nossa paróquia. Toda a arrecadação com a venda das camisas será revertida para o término do Centro Comunitário Irmã Dulce.


Pascom-Remanso.


PAIXÃO DO SENHOR

11:55 - Não comentado
Sexta-Feira Santa

Primeira leitura: Is 52,13-53,12

Segunda leitura: Hb 4,14-16;5,7-9

Evangelho: Jo 18,1-19,42

Na tua mão está o meu destino. (Sl 31/30)

Cor: Vermelha


"Eu não encontro nele nenhum motivo de condenação. [...] Quereis que eu vos solte o Rei dos Judeus?". Eles, então, se puseram a gritar: "Este não, mas Barrabás!". [...]

Comentando a Palavra

Neste dia as palavras devem ceder lugar ao silêncio e à contemplação. Trata-se, ao fazer memória da paixão e morte do Senhor, de estar com ele. É a oportunidade de permitir que o nosso olhar, encontrando Jesus no seu sofrimento, nos transforme profundamente seguindo a graça de Deus. Ao apresentar Jesus à multidão depois de tê-lo duramente açoitado e humilhado, Pilatos se dirige à multidão: "Eis o homem!". De fato, Jesus é o homem que realiza o projeto de Deus para o ser humano feito à sua imagem e semelhança. Mas este homem é, também, o homem desfigurado pelo mal presente na humanidade, desfigurado a ponto de não parecer sequer humano. O que desfigura o servo fiel de Deus é o mal que seduz e destrói. Aquele que "passou pelo mundo fazendo o bem" é acusado, segundo nosso relato, de ser um malfeitor. Aquele que só falou o bem e fez a muitos viverem pelo sopro de sua palavra, aquele que é a Palavra encarnada do Pai, é condenado como blasfemo. A iniquidade humana ceifa dramática e violentamente a vida, apoiando-se na mentira, na confissão e na dissimulação. Mas Deus pode fazer jorrar água da pedra. Por isso, mesmo no que a história humana tem de mais perverso, Deus revela o seu plano de amor. Para nós que celebramos a paixão do Senhor é ocasião, de, olhando para o Crucificado, nos perguntarmos: "Que poderei retribuir ao Senhor por tudo aquilo que ele me fez?; ou ainda, dizer do mais profundo do coração ao Senhor crucificado: "Nós te adoramos, nós confiamos em ti".



(Bíblia dia a dia. Edição Paulinas, 2015)


CEIA DO SENHOR

09:53 - Não comentado
Quinta-Feira Santa (CEIA DO SENHOR)
"Erguerei o cálice da salvação e invocarei o nome do Senhor." (Sl 116B (115))

Primeira leitura: Ex 12,1-8.11-14

Segunda leitura: 1Cor 11,23-26

Evangelho: Jo 13,1-15

Cor: Branca


[...] Jesus levantou-se da ceia, tirou o manto, pegou uma toalha e amarrou-a à cintura. Derramou água numa bacia, pôs-se a lavar os pés dos discípulos e enxugava-os com a toalha que trazia à cintura. Disse aos discípulos: "Entendeis o que eu vos fiz? Vós me chamais de Mestre e Senhor; e dizeis bem, porque sou. Se eu, o Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros. Dei-vos o exemplo, para que façais assim como eu fiz para vós".

Comentando a Palavra

Com a celebração da Ceia do Senhor, iniciamos o tríduo pascal. É na última ceia de Jesus com os seus discípulos. Nessa ceia do adeus, Jesus deixa o seu testamento, suas duas últimas vontades: a fração do pão e o serviço fraterno. Para a literatura joanina, o tema do amor ocupa lugar central. Especificamente, para o quarto evangelho, a paixão de Jesus é expressão do amor de Jesus pelos seus, um amor até o fim. A salvação é dom de amor, e como tal ela precisa ser compreendida e recebida. O mal que domina o coração de Judas é uma força de sedução que distorce a realidade e atenta contra a vida. A resistência de Pedro em permitir que Jesus lavasse os seus pés é a dificuldade em reconhecer no servo a figura do Messias. Mais ainda, é a dificuldade em aceitar um Messias que tenha que passar pelo sofrimento e pela morte. A resposta de Jesus a Pedro afirma que a salvação é dom gratuito e, como tal, precisa ser recebida, e o gesto simbólico deve se traduzir como atitude permanente na vida do discípulo. Ser discípulo pé ser servidor ao modo de Jesus. O gesto do lava-pés condensa toda a vida de Jesus, que "não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos" (Mt 20,28)



A Bíblia dia a dia (edições paulinas, 2015)

PROGRAMAÇÃO DA SEMANA SANTA NA PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO

18:21 - Não comentado

A Paróquia Nossa Senhora do Rosário, Remanso/BA, se prepara para a Semana Santa, com programação de 28 de março a 05 de abril. Uma tradição religiosa cristã que celebra a paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo, numa grande demonstração de fé, religiosidade e devoção. O início é no Domingo de Ramos - celebração que recorda a entrada triunfal de Jesus Cristo em Jerusalém, e o término no Domingo de Páscoa, com a celebração da ressurreição. 
  
Sexta-feira da Paixão ou Sexta-feira Santa é o único dia do ano litúrgico em que não há Celebração Eucarística, apenas distribui-se a comunhão durante a Ação Litúrgica.

Confira a Programação:

28 de março  - Sábado 
19h30min
Confissão Comunitária com jovens – Igreja Matriz
29 de março  - Domingo de Ramos 
7h
Bênção dos Ramos e Santa Missa (Igreja Matriz)
10h
Celebração com as Crianças (Igreja Matriz)
17h
Celebração de Ramos (Comunidade Vila Santana)
19h30min
Bênção de Ramos (Igreja Matriz)

Procissão (saindo próximo à Quadra de Esportes – Av. Beira Lago)

Celebração da Santa Missa  (Praça da Matriz)
30 de março – Segunda-Feira Santa
19h30min
Confissão Comunitária com mulheres (Igreja Matriz)
31 de março – Terça-Feira Santa
19h30min
Recitação do Terço com meditação dos Mistérios Dolorosos (Igreja Matriz)
01 de abril – Quarta-Feira Santa
19h30min
Confissão Comunitária com homens (Igreja Matriz)
02 de abril – Quinta-Feira Santa (Início do Tríduo Pascal)
17h
Santa Ceia do Senhor (Comunidade Vila Santana)
19h30min
Santa Ceia do Senhor - Cerimonia do lava-pés (Igreja Matriz)

Adoração do Santíssimo (Centro Social)
03 de abril – Sexta-Feira Santana
6h
Via Sacra – saindo da Igreja Matriz com destino ao Cemitério local
15h
Ofício da Paixão (Comunidade Vila Santana)
15h
Reza do Terço da Misericórdia  (Transmissão Rádio Comunitária Zabelê FM)
19h
Celebração da Paixão do Senhor (Igreja Matriz)
Procissão das 7 dores de Nossa Senhora
04 de abril – Sábado Santo (Solene Vigília da Ressurreição do Senhor) – Igreja Matriz
20h
Bênção do Fogo Novo

Procissão da Luz
Proclamação Solene da Páscoa do Senhor
Bênção da Água
Renovação das Promessas do Batismo
Celebração Eucarística
05 de abril – Domingo de Páscoa (Ressurreição do Senhor)
10h
Missa Solene da Páscoa com as crianças e Batizados (Igreja Matriz)
17h
Missa Solene da Páscoa (Comunidade Vila Santana)
19h30min
Missa Solene da Páscoa (Praça da Matriz)

Toda comunidade católica de Remanso é convidada a participar.


Pascom-Remanso.
Imagem da Internet.

COMUNIDADE CACIMBA NOVA REALIZA FESTEJO EM LOUVOR A SÃO JOSÉ

15:47 - Não comentado
Nesta quinta-feira, 19, é comemorado o dia de São José, Patrono universal da Igreja. A comunidade de Cacimba Nova, desta Paróquia de Remanso, que tem o santo como padroeiro, festejou o dia com procissão e celebração da Santa Missa presidida pelo Pe. Benedito na capela da comunidade, momento em que os fieis renderam graças a Deus pelo dom da vida.

Durante o novenário, que teve seu início dia 09/03, a comunidade aprofundou o tema da Campanha da Fraternidade: “Fraternidade: Igreja e Sociedade” e lema: “Eu vim para servir” (Mc 10,45).

Como de costume, logo após a missa, aconteceu a derrubada da bandeira, que foi levantada no primeiro dia da novena. As comunidades circunvizinhas participaram durante todo o festejo.


Imagem de São José - Procissão.

Celebração da Santa Missa - Pe. José Benedito

Comunidade - durante a Celebração.

 Tradicional derruba da Bandeira - comunidade Cacimba Nova

 Tradicional derruba da Bandeira - comunidade Cacimba Nova

Momento em que a Bandeira é colocada na porta da Igreja para que os fieis passem 
por baixo da mesma.



Pascom-Remanso, com informações e fotos de Michel Campinho.

CRECHE SÃO JOSÉ REALIZA TRÍDUO EM LOUVOR A SEU PADROEIRO

15:33 - Não comentado

Está acontecendo na Creche São José de Remanso, Tríduo festivo a seu padroeiro. O Tríduo teve início na noite do dia 16/03, segunda-feira, com o tema: Com São José Aprendamos a viver em fraternidade, servindo o(a) irmão(ã). O Subtema da primeira noite foi: “Eu vim para servir” (Mc 10,45), a animação da noite foi da Catequese.

A segunda noite do Tríduo, dia 17/03, teve como subtema: Eu quero uma Igreja em constante “saída”, como animadoras as Irmãs de São José de Remanso e as Leigas do Pequeno Projeto, a pregadora da noite foi Irmã Cleide.

Refletindo o tema, Ir. Cleide trouxe presente o discurso do Papa Francisco no qual ele alerta para as “doenças” que nos impedem de sermos uma igreja em constante saída, entre elas a de nos sentirmos imortais, indispensáveis, a do materialismo, da má coordenação, da rivalidade, da indiferença para com os outros, do acúmulo, dos círculos fechados e do proveito mundano (exibicionismo) onde o apóstolo transforma serviço em poder e seu poder em mercadoria para obter dividendos humanos ou mais poder. Concluindo a reflexão, ir. Cleide ressaltou que a humildade, a disponibilidade, o serviço com amor, a abertura, o acolhimento são elementos essenciais (características) para sermos uma Igreja solidária em constante saída.

A terceira noite do Tríduo, hoje, 18/03, terá como subtema: O Bom Samaritano cura com o óleo do amor-compaixão (Lc 10, 29-37), a animação será dos Carismáticos.

Amanhã, quinta-feira, 19/03, acontecerá a celebração da Santa Missa encerrando o Tríduo festivo às 19h30min.

Fica o convite a você e sua família para participar conosco da festa em louvor a São José.



Pascom-Remanso, informações e fotos Ildecir.


PRESIDENTA DO STR FALA SOBRE PROJETO DE CONSTRUÇÃO DE CISTERNAS EM ESCOLAS DE REMANSO, SENTO SÉ E PILÃO ARCADO

18:05 - Não comentado
A Articulação Sindical (ASS) está executando nos municípios de Remanso, Sento Sé e Pilão Arcado o projeto “Cisternas nas escolas”. O objetivo é construir 84 cisternas de 52.000 litros cada no prazo de um ano em escolas da zona rural destes municípios.

A presidenta do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Remanso e membro da coordenação da ASS, Beronice Ferreira da Silva, a Beró, concedeu entrevista à Pastoral da Comunicação da Paróquia Nossa Senhora do Rosário, onde falou sobre o projeto, sua importância e sobre educação contextualiza. 


Pascom: Em que consiste o projeto “Cisternas nas Escolas”?

Beró: Quem vai executar o projeto é a Articulação Sindical (ASS). O projeto é financiado pelo MDS (Ministério do Desenvolvimento Social) em parceria com a ASA (Articulação do Semiárido), que já vem trabalhando as cisternas nas famílias, e o P1MC (Programa Um Milhão de Cisternas). Foi feita uma chamada pública e a ASA e P1MC concorreram e ganharam. São 84 cisternas, que vão ser construídas nos municípios de Sento Sé, Remanso e Pilão Arcado.

Pascom: Aqui em Remanso vão ser quantas?

Beró: São previstas mais ou menos 20 cisternas, pois a demanda de Remanso é menor que a de Pilão Arcado e Sento Sé.

Pascom: Por que a demanda de Remanso é menor?

Beró: O número de escolas de Remanso é menor e quase todas elas já têm cisternas. Encontramos 10 escolas que não tem cisternas de jeito nenhum e nas demais, o número de alunos é muito grande e por isso vamos construir cisternas nestas escolas. Portanto, aqui em Remanso vão ser construídas em torno de 20 cisternas, bem como em Sento Sé, apesar da demanda neste município ser muito grande. A demanda maior é Pilão Arcado.

Pascom: Tem que ser construídas 84 cisternas?

Beró: Sim, tem que ser construídas 84 cisternas.   

Pascom: Então vocês já sabem que a demanda nos três municípios são de 84 cisternas. Por este número?

Beró: O MDS propôs a ASA a construção de 5.000 cisternas no Nordeste, na região do semiárido, e neste momento teria que ser construídas 2.500, ou seja, o projeto seria dividido em duas etapas. Então a ASA fez o projeto tendo em vista o recurso disponível pelo MDS para a construção de 2.500 cisternas previstas na primeira etapa. O MDS teve acesso, junto ao MEC (Ministério da Educação), a uma lista com o nome de todas as escolas municipais e lá tem todos estes dados no que diz respeito às escolas que já têm cisternas e aquelas que não têm, bem como o número de alunos. Então nós vamos ter que trabalhar em cima desta lista também. E nós vamos ter que fazer um novo cadastro das escolas, comparando com a lista que o MDS nos mandou. Então se nós resolvermos fazer uma cisterna numa escola que não está na lista do MEC, nós vamos ter que justificar, dizendo o porquê, qual é a deficiência e qual é a importância de se construir uma cisterna naquela escola. É bom lembrar que nesta lista não existe apenas o nome de 84 escolas, pois o objetivo é construir 2.500 cisternas. Então vai haver muita demanda de escolas, sobretudo, em Pilão Arcado.

Pascom: Mas a construção desta outras cisternas seria posteriormente.

Beró: Sim, nós vamos cadastrar estas escolas e informar ao MDS. Neste primeiro momento, nós vamos dá prioridade [em Pilão Arcado] a construção de 44 cisternas e, em seguida, iremos fazer o levantamento de todas as escolas que não tem cisternas e vamos mandar para o MDS. Pode haver um aditivo no meio do projeto. Não é certeza, mas existe esta possibilidade de haver um aditivo, incluindo mais escolas. Isso vai depender do cadastro, da demanda e nós estaremos levantando os dados: quantas escolas, quantos alunos e qual a fonte de água.

Pascom: Então a quantidade de alunos é um critério no projeto?

Beró: Não é um critério. Quando nós falamos na quantidade de alunos é porque, por exemplo, aqui em Remanso existem escolas com apenas cinco alunos. Tem que haver uma avaliação a fim de se descobrir o motivo destas escolas só terem cinco alunos, até quando ela vai funcionar tendo em vista esta quantidade mínima de alunos. Nós não podemos fazer um investimento desta envergadura, correndo o risco da escola fechar por falta de aluno. Estas cisternas podem servir para a comunidade. Nós precisamos fazer esta análise, pois não podemos correr o risco de construirmos um “elefante branco”.

Pascom: Então as cisternas poderão ser utilizadas pela comunidade.

Beró: Sim, uma vez que, depois de pronta, a cisterna não é do governo, da prefeitura, mas sim uma obra da comunidade que pode e deve ser utilizada por ela. Hoje nós vemos muitas escolas que terminam as aulas e o diretor ou a secretaria recolhe as chaves. Esse é um dos momentos que não é só a cisterna que vai ser construída, mas também a importância do envolvimento da comunidade com a escola e com o mundo escolar. O projeto prevê momentos com a comunidade, com os alunos, com os professores, com os diretores, porque o objetivo não é só as cisternas, mas também a educação do campo, a educação contextualizada, isto é, uma educação voltada para a nossa realidade.

Pascom: Este projeto já foi executado em outros municípios?

Beró: Em 2010, este projeto foi executado em Juazeiro e Curaçá, munícipios da Bahia. Foi uma experiência muito boa com algumas escolas.

Pascom: Como é que vai ser feita a educação contextualizada?

Beró: A primeira fase do projeto compreende a conversa com os gestores, com a secretaria de educação e com a prefeitura, porque é um projeto que requer muita contrapartida do município, não só do ponto de vista de recursos, mas também de parceria, com a liberação de pessoas, acompanhamento, porque se não o projeto não irá dar certo já que nós estamos trabalhando com os gestores e os professores. Neste primeiro momento, nós estamos tendo esta conversa e fazendo o cadastro das escolas, identificando aquelas em que nós vamos trabalhar. Em seguida, nós temos que realizar um encontro em cada comunidade. Vão ser 84 encontros, onde serão apresentados o projeto e as responsabilidades da Articulação, da comunidade e do gestor, tanto agora como após a execução do projeto.

Pascom: Qual é o prazo de construção das cisternas?

Beró: Este é um contrato assinado em janeiro deste ano e tem o prazo de um ano para a execução. Então até janeiro do ano que vem nós precisamos prestar contas de tudo isso: cisternas construídas, oficinas realizadas de educação contextualizada, GRH (Gerenciamento de Recursos Hídricos) na escola. Tudo isso no prazo de um ano.

Pascom: Como é que é a composição da equipe responsável pela execução do projeto?

Beró: Para a execução deste projeto nós temos quatro pessoas: uma coordenadora (que faz a articulação), uma pedagoga (responsável pela educação contextualizada), um animador de campo (pessoa que acompanha a obra e faz o cadastro da escola) e um auxiliar administrativo, que disponibiliza toda a documentação e dados no sistema. Além disso, existe também a equipe da Articulação Sindical (Sindicato de Remanso, Pilão Arcado, Campo Alegre de Lourdes, Colônia de Pescadores). 

Pascom: Após esta primeira fase (cadastro das escolas e conversas) quais são as outras fases do projeto?

Beró: Antes de responder, é bom lembrar que as escolhas destas escolas estão acontecendo com a sociedade civil. Aqui em Remanso nós decidimos construir cisternas nas escolas que possuem cisternas de 16.000 litros, porque elas não comportam os gastos de água. Em Pilão Arcado, já aconteceu um encontro, onde foram listadas as escolas que tem prioridade agora. Em Sento Sé, ainda não se tem este resultado (esta entrevista foi realizada no dia 09/03). A partir de março nós iremos lançar no sistema pelo menos 15 escolas já cadastradas e faremos uma capacitação de pedreiros. São 10 pessoas interessadas em se inserir no projeto e que querem aprender a construir a cisterna. E a partir de abril já começam as oficinas e o GRH, com merendeiras, porteiros. São 21 oficinas. O agendamento das oficias só será feito após o cadastramento das escolas.

Pascom: Os pedreiros serão pessoas das comunidades?

Beró: Nós pedimos que os municípios de Pilão Arcado e Sento Sé indiquem, cada um, cinco pessoas. E Remanso, se der, indicaria mais cinco, totalizando 15 pessoas. São pedreiros que precisam já ter experiência.

Pascom: A capacitação dos pedreiros envolve a educação contextualizada?

Beró: Ela vai ter o momento teórico e o momento prático, porque o profissional precisa conhecer o mínimo do que é a ASA, o porquê da realização destes projetos, como eles foram construídos, mostrando que foram resultado de muitas lutas e que melhoraram a vida de muitas pessoas.

Pascom: Por fim, gostaríamos você frisasse para a comunidade a importância deste projeto.


Beró: Apesar de ter sido o MDS que provocou a ASA a fazer este projeto, ele não é uma ideia do MDS, ele é uma ideia da sociedade civil. Nossos jovens hoje, nossas crianças, elas são formadas, educadas para sair do nosso semiárido, do nosso Nordeste e ir para a cidade grande. Então isso tem esvaziado os movimentos sociais, os campos. Mas nós moramos no melhor lugar do mundo, só precisamos aprender a conviver com o nosso local, com a nossa cultura, que é bela, rica. Portanto, a educação precisa mudar, porque a partir do momento que você trabalha isso na escola [a convivência com o semiárido], na educação da criança, ela vai entender muito mais do que você pegar um jovem já de 18 anos e tentar mudar a mentalidade dele. Nós escutamos muito o jovem dizer: “eu não quero ser igual ao meu pai, trabalhar na roça, sofrendo igual a ele”. Não é isso que nós também queremos ver. Ver pessoas trabalhando na enxada sem ter dinheiro, divertimento e não ter uma educação boa, uma escola boa e oportunidade para sair e estudar. Mas nós queremos que o jovem dê valor a nossa cultura e o nosso trabalho. Nós precisamos nos adaptar ao semiárido, mudar, talvez, algumas coisas, mas nunca perder de vista nossa cultura e nosso ambiente. Nosso semiárido bom, ótimo, que eu não troco por nada. Nós esperamos que os gestores abracem este projeto, porque a partir do momento que nós formamos jovens com essa educação voltada para a nossa realidade talvez nós iremos melhorar nossa vida ainda mais. 

E-mail Newsletter

Sign up now to receive breaking news and to hear what's new with our website!

back to top