A Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos da Santa Sé, confirmou São José de Anchieta como patrono dos catequistas do Brasil e o beato Francisco de Paula Castelló i Aleu, como  patrono dos profissionais Químicos do Brasil. A decisão foi tomada atendendo ao pedido do arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cardeal Raymundo Damasceno Assis, feito em julho de 2013.

Dom Damasceno alegou em sua solicitação a “veneração fervorosa e contínua” dada pelo clero e dioceses do país ao santo que “se dedicou ao ensino e à transmissão da catequese no território brasileiro” e ao bem-aventurado “que não hesitou doar a sua vida totalmente a Cristo”.

São José de Anchieta

Canonizado pelo papa Francisco, no dia 03 de abril de 2014, o chamado Apóstolo do Brasil é considerado pelo presidente da CNBB um modelo evangelizador e missionário. “Nos ensinou que o Evangelho, ao ser anunciado, deve ser inculturado, levando em conta a cultura das pessoas ao qual se destina”, disse dom Damasceno na ocasião da canonização.

Natural de Tenerife, nas Ilhas de Canárias, na Espanha, Anchieta nasceu no dia 19 de março de 1534 e chegou ao Brasil em 1553. Foi responsável pela criação do colégio de Piratininga no dia 25 de janeiro de 1554, que deu origem à cidade de São Paulo.

No decorrer de sua vida, o santo passou por lugares como São Paulo, Espírito Santo e Bahia propagando os ensinamentos do Evangelho. Faleceu na cidade de Reritiba (atual Anchieta, no Estado do Espírito Santo), em 9 de junho de 1597.

Beato Francisco de Paula Castelló i Aleu

Francês da cidade de Alicante, o beato nasceu em 19 de abril de 1914. Considerado mártir, Francisco Castelló foi condenado à morte por não negar sua fé católica. Em 1936, diante de um Tribunal Popular, respondia às perguntas dizendo com firmeza: “Sim, sou católico”. A relação com os químicos surge de sua formação em Química pela Universidade de Oviedo, no Principado de Astúrias, na Espanha.

Francisco de Paula Castelló i Aleu atuou em sua vida religiosa com pobres e trabalhadores. Faltando algumas horas para ser fuzilado, o beato escreveu uma carta a um amigo, padre Galán, entregando o seu “pobre testamento intelectual”, no qual havia um projeto de “compressor de amoníaco”.

São João Paulo II foi o responsável pela sua beatificação, em 11 de março de 2001. Em sua homilia, ressaltou o testemunho de mártir. “Ofereceu a sua juventude em sacrifício de amor a Deus e aos irmãos”, disse João Paulo II.





PASCOM-Remanso, com informações da PASCOM - Diocese de Juazeiro Bahia e CNBB - Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil

Na noite desta sexta-feira, 26/09, a comunidade de São Vicente de Paulo viveu a última noite do Tríduo em preparação para a grande festa que acontece hoje, 27/09, com a Celebração da Santa Missa ministrada pelo Pe. Benedito e Pe. Edmundo.

A última noite teve como tema: A exemplo de São Vicente, procuremos descobrir a verdadeira liberdade. Para ajudar na reflexão a equipe organizadora convidou o confrade Paulo Sérgio, da Paróquia de São José Operário, Casa Nova-BA, que veio acompanhado de sua esposa Regina Célia.

“São Vicente de Paulo é conhecido em todo o mundo como o pai dos pobres, protetor da infância e consolo de todos os que sofrem. Celebrar um santo é celebrar o próprio Deus, que fez maravilhas naqueles que se abrem e se tornam dóceis ao seu espírito Santificador. São Vicente tornou-se dócil a vontade de Deus e a sua Palavra, e para todos nós, hoje é exemplo de vida cristã a ser imitado.”

Refletindo o evangelho de João 8,32, o pregador chamou a atenção de como estamos vivendo a liberdade que Jesus nos deu. “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (Jo 8,32). Que liberdade? A liberdade pra fazer tudo o que quiser? A liberdade para vender seu próprio corpo? A liberdade para abortar seu próprio filho? A liberdade para escravizar o irmão? Para extrair seus órgãos e vendê-los? Para traficar as pessoas?


Certamente essa não é a verdadeira liberdade que Cristo nos concedeu. Essa liberdade, conquistada na cruz pelo sangue precioso que nosso Senhor Jesus Cristo derramou por nós, é para colocarmos a serviço do próximo, do pobre, do marginalizado, assim como fez São Vicente. É para vivermos em harmonia, amando o nosso próximo, é para sermos felizes e alegres e transbordar essa felicidade aqueles que não conhecem a verdadeira liberdade, disse o pregador.

Imagens da última noite do Tríduo:

Procissão de Entrada

Acolhida da Palavra
"Somos profetas do Senhor com a missão de evangelizar e levar a luz da fé e do conhecimento aos nossos irmãos."

Momento do Ofertório
"A maior doação é aquela que nos faz renunciar a nós mesmos em favor dos menos favorecidos."

"Nossa resposta a Deus é abrir o nosso coração em generosidade e derramar diante de Dele nós mesmos, nossas lutas, nossas dores, nossas alegrias e também o fruto do nosso trabalho, a nossa doação material em favor da Igreja, fornecendo-lhe o suporte em sua missão de evangelizar que, na verdade, é também missão de todos e de cada um de nós batizados."

Momento da Ação de Graças

Momento da Ação de Graças

Casal Paulo Sérgio e Regina Célia, entre os dois Drª Mariazeinha (Vicentina de Remanso)




PASCOM-Remanso, com informações/fotos de Auricelio Bacelar.


Esta quinta-feira, 25/09, foi o dia da segunda noite do tríduo em preparação para a festa de São Vicente de Paulo. Uma noite que ao certo surpreendeu positivamente toda comunidade reunida, que foi estimulada a fortalecer ainda mais sua fé no Deus que sempre diz “sim” a vida e que nos pede para fazermos o mesmo. O subtema proposto para a reflexão foi “Com Jesus e São Vicente lutar sempre pelas vítimas de qualquer tipo de tráfico”. A reflexão do subtema foi ministrada pelo catequista Tiago Andrade, enquanto que a animação da noite ficou sob a responsabilidade do coral Santa Cecília.

A comunidade que compareceu à segunda noite do tríduo testemunhou uma celebração que se destacou pela organização, animação e conscientização, fruto do discernimento que a fé nos proporciona fazer. Quando a equipe responsável pela organização trabalha em sintonia e a criatividade artística nos proporciona momentos de profunda reflexão, a celebração acaba se destacando pela participação entusiasmada de todos. São sinais de manifestação do Reino. É o futuro que se antecipa no presente, iluminado todo um processo de caminhada. É, em fim, a irrupção da eternidade.

O tráfico humano, lembrou Tiago Andrade, atua em quatro modalidades: a exploração laboral, o tráfico para fins de exploração sexual, para remoção de órgãos e o tráfico de crianças. Esta realidade nojenta só existe por causa da idolatria ao dinheiro e ao poder. Isto é, milhares de seres humanos são transformados em mercadoria a fim de produzir lucro para alguns. Toda esta situação de exploração humana contradiz a mensagem do Evangelho de Jesus, que veio ao mundo para garantir vida abundante a todos (Jo. 10,10). Todo ser humano tem direito a uma vida digna e é obrigação do cristão ajudar a promover a dignidade da pessoa humana, pois todos nós somos filhos e filhas de Deus.

Em sua pregação Tiago Andrade exortou toda a comunidade a sair do comodismo e perceber que a realidade do tráfico humano não está distante de nós, pois em nossa cidade vivenciamos a triste situação de pessoas, sobretudo jovens, vítimas das drogas, do trabalho sub-humano, da prostituição etc. O mundo e a nossa cidade precisam de mais cristãos comprometidos com a promoção da vida e que não ficam indiferentes quando veem a imagem de Deus desfigurada no irmão que sofre. Papa Francisco afirma que “se queremos seguir Cristo de perto, não podemos procurar uma vida cômoda e tranquila. Será uma vida empenhada, mas cheia de alegria”.

Nesta última noite do tríduo, 26/09, o sub-tema proposto para a reflexão será: “A exemplo de São Vicente, procuremos descobrir a verdadeira liberdade”. 

Imagens da 2ª noite do Tríduo a São Vicente:

Tiago Andrade, jovem catequista e pregador da 2ª noite.

Irmã Tereziata, coordenadora da Pastoral da Pessoa Idosa - Diocese de Juazeiro/BA

Crianças (momento do ofertório)

Momento do Ofertório

Momento da Ação de Graças

Irmã Catarina e Irmã Tereziata

Grupo de Catequistas

Grupo de Oração Rainha da Paz, Renovação Carismática Católica de Remanso

Confira mais fotos em nossa "GALERIA"



PASCOM-Remanso, com texto de Marcos Paulo e fotos de Auricelio Bacelar.


A Comunidade de Novo Marcos estará em festa a partir de hoje, 25/09, com o novenário a seu padroeiro, São Francisco de Assis.

O novenário que tem como tema: Com São Francisco, despertar o compromisso em defesa da vida, vai até dia 03/10. Domingo, dia 04/10, acontece o encerramento com a procissão e celebração da Santa Missa.

Para esta primeira noite o tema será: A missão do cristão é anunciar o Evangelho e denunciar as injustiças, e tem como pregador o Pe. José Potter e noiteiros: Animadores e rua São Francisco.

Confira a programação para o decorrer do festejo:

26/09/2014
(Sexta-feira)
Evangelizar e anunciar o projeto de Jesus Cristo Libertador.
Rua Beira Rio, Catequistas e crianças.
27/09/2014
(Sábado)
Combater as drogas e superar a violência na prática da justiça.
Motoristas, motociclistas, BR e comerciantes.
28/09/2014
(Domingo)
Promover ações de prevenção e resgate da cidadania.
Professores, jovens e grupo Brasas Vivas.
29/09/2014
(Segunda-feira)
São Francisco de Assis ajudai-nos a viver a presença viva de Jesus Cristo entre nós.
Carismáticos e Terço dos Homens.
30/09/2014
(Terça-feira)
A Eucaristia nos convida a libertar os oprimidos das algemas da injustiça.
Ministros da Eucaristia e Lavradores.
01/10/2014
(Quarta-feira)
Combater o trabalho escravo, vivendo em comunhão com os irmãos e com Cristo.
Centros: Madre Cabrini, Imaculado Coração de Maria, São Vicente, Vicentinos, Legião de Maria, Sant’Ana e São Joaquim e Irmã Dulce.
02/10/2014
(Quinta-feira)
Vivendo a humildade de São Francisco, sejamos defensores da dignidade humana.
Vaqueiros, Rua Alexandrina e Praça.
03/10/2014
(Sexta-feira)
Que o Espírito Santo fortaleça as lideranças, anunciando a justiça e favorecendo a vida.
Casais, Comunidades e Pescadores.
04/10/2014
(Sábado)

DIA DA FESTA
16h – Procissão e logo após Celebração da Santa Missa, presidida por Pe. Benedito e Pe. Edmundo.

Segundo a CEMIG, hoje entram 27 m3/s de água em Três Marias e saem 158,6 m3/s. Se não chover em um mês o rio São Francisco irá cortar num trecho de 40 km. Será a primeira vez em sua história conhecida.

Dizem os estudiosos que há milhões de anos atrás o São Francisco corria para o norte e desaguava no delta que hoje é do Parnaíba. A rota mudou a partir de Pilão Arcado. Dali ele ia para o Piauí. Mudanças geológicas alteraram o curso do rio e ele desceu na direção do que hoje é Remanso, indo desaguar entre Alagoas e Sergipe.

Dilma esteve nas obras da Transposição, como que inaugurando algum trecho, assim ganhar votos com a promessa da água abundante. Não teve coragem de visitar o São Francisco, nem dar uma única palavra aos 13 milhões de brasileiros que estão vendo seu rio morrer a cada instante. Aliás, em 4 anos de governo, Dilma manteve-se absolutamente infensa às demandas da população ribeirinha e do próprio rio.

Aécio, o governador de Minas, que não mexeu uma palha em defesa de seus municípios mais prejudicados, também disse que vai concluir a Transposição. Ótimo. Só não diz como vai abastecer os dez municípios de seu estado que estão praticamente sem água. Assim, o santo vai fazer milagre em território alheio, mas como todo santo, não cuida dos deveres básicos de seu território.

E Marina? Esteve no Ceará e falou que vai concluir a Transposição. Num evento de educadores católicos em Brasília misturou a Transposição com o Bolsa Família, FIES e disse que vai concluir a obra. Não falou uma única palavra sobre o São Francisco.

Nenhum deles citou a revitalização e nenhum deles cita a situação crítica da água em todo território brasileiro. O desespero da população de Itu, já ameaçando invadir a câmara de vereadores local é apenas o prefácio das revoltas que se instalarão por todo país caso o milagre das chuvas – como é bom ver as corporações técnicas e políticas invocando São Pedro! – não lhes salvar a pele. Porém, o retorno das chuvas apenas aliviará a tragédia, mas o problema retornará cada vez mais constante e severo, ainda mais com as mudanças climáticas em andamento. Vamos pagar um preço incalculável pela exploração predatória de nossos rios.

Assim, seja qual for o eleito, se o São Francisco depender de alguma política pública - e tantos outros rios brasileiros -, a finalização de seu assassinato é questão de tempo.



PASCOM-Remanso, com matéria de por Roberto Malvezzi – Gogó (Equipe CPP/CPT do São Francisco. Músico. Filósofo e Teólogo) divulgada pelo portal Adital.

A primeira noite do tríduo em honra a São Vicente teve como subtema “É para liberdade que Cristo nos libertou”. A pregadora da noite foi a catequista prof.ª Veraneide e a comentarista, a catequista Juliana. A animação da celebração ficou sob a responsabilidade do coral infantil Irª Margarida.

Refletindo o texto retirado do evangelho de Mateus, capítulo 7, versículos de 1 a 12, Veraneide lembrou a toda comunidade reunida que Jesus propõe um modelo de sociedade em que todas as pessoas, como verdadeiras filhas e filhos de Deus, sintam-se co-responsáveis umas pelas outras, partilhando das dores e alegrias e, sobretudo, promovendo no outro a dignidade que quero que seja garantida a mim. “Tudo, portanto, quanto desejais que os outros vos façam, fazei-o vós também a eles”. (Mt. 7, 12)

O Tráfico Humano reduz a pessoa humana à condição de simples mercadoria, transformando-a numa escrava. “A escravidão acontece quando uma pessoa considera que a outra pessoa é sua propriedade e a trata como um objeto que lhe pertence. É o domínio de uma pessoa sobre a outra”, afirmou Veraneide. Ora, como podemos ficar indiferentes a esta situação quando sabemos que foi “para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl. 5,1)? Um autêntico cristão, seguidor de Jesus Cristo Libertador, precisa denunciar as estruturas e situações causadoras do tráfico humano, bem como colocar-se ao lado das vítimas deste negócio espúrio para reerguê-las e curá-las. Muitas vezes, como nos alerta o papa Francisco, habituamo-nos com o sofrimento do outro, afirmando que a dor dele não é de responsabilidade nossa. É a chamada globalização da indiferença.

Por fim, Veraneide destacou que “às vezes se usa a palavra escravidão ou escravizar para dizer que alguém se deixa dominar por algum vício como beber, fumar e ingerir drogas”. E questionou: “será que às vezes a gente também não se deixa escravizar por alguns costumes e atitudes como fumar, beber, jogar, deixando de lado as palavras de Jesus?” Jesus nos liberta para que possamos escolher entre o bem e o mal, ou entre o certo ou errado. “Você é capaz de dizer não quando alguém o convida para fazer algo errado?”, indagou Veraneide.


Nesta segunda noite, 25/09, o sub-tema proposto para a reflexão será: “Com Jesus e São Vicente lutar sempre pelas vítimas de qualquer tipo de tráfico”. A meditação será feita pelo jovem catequista Tiago Andrade.

Profª. Veraneide Brito, pregadora da noite

Fiéis de São Vicente de Paulo - 1ª noite do festejo

Imagem de São Vicente de Paulo

Crianças da Creche São José

Acolhida da Palavra de Deus

Fiéis - 1ª noite do novenário



PASCOM - Remanso, com fotos de Auricelio Bacelar e texto de Marcos Paulo