Chega ao fim o novenário de preparação para a festa de Nossa Senhora do Rosário. A celebração da nona noite e a meditação do subtema foram feitas pelo bispo da Diocese de Juazeiro, Dom José Geraldo. Segundo ele, a novena é um momento oportuno de aprofundamento da fé e revisão da nossa caminhada enquanto Igreja de Jesus.

Refletindo o subtema da noite, “Nossa Senhora do Rosário, ajude-nos a viver a liberdade que Cristo nos garante”, Dom José Geraldo afirmou que “Jesus nos libertou para sermos livres”. Disse também que “a liberdade está na essência da nossa criação, da nossa vida, do nosso ser”. É, portanto, uma qualidade essencial do ser humano.

A liberdade é dom de Deus e conquista humana. Nascemos dependentes e aprendemos a ser livres. “Se quisermos ser felizes, temos que construir juntos a liberdade e a felicidade”, esclareceu o pregador da noite. Porém, liberdade é diferente de libertinagem, lembrou Dom José Geraldo.

Existem pessoas que pensam que são livres quando desobedecem as regras sociais, seguem seus impulsos e fazem o que querem. Esse é o comportamento típico de uma pessoa libertina e não livre. Recordando os Padres da Igreja, o bispo da Diocese de Juazeiro lembrou aos fieis presentes na praça da Igreja Matriz que o ser humano foi criado livre “para fazer o bem e para praticar o que é bom”. Portanto, liberdade, na ótica cristã, é um ato inteligente orientado para o bem das pessoas e de toda a criação.

Somos totalmente livres para praticar o bem e criamos regras e limites para evitar a prática do mal. Devemos desde criança assumir a nossa responsabilidade de sujeitos dotados de liberdade. Os pais possuem um papel fundamental no cultivo dessa responsabilidade. Eles precisam aprender a impor limites ao comportamento de seus filhos. Dom José Geraldo usou de uma expressão forte para afirmar que “se em casa pai e mãe não dão limites a seus filhos, no mundo esses limites serão dados no tapa e na bala”.

O Reino de Deus anunciado por Jesus nos liberta de tudo aquilo que nos oprime seja física, espiritual e psicologicamente. Esses nove dias de novena foram momentos propícios para questionarmos o nosso compromisso com o projeto de vida de Deus. Estou sendo um verdadeiro discípulo (a) de Jesus? Como estou contribuindo com a construção do Reino de Deus?

Que Maria, exemplo perfeito de cristã comprometida com o Reino Deus, seja modelo de vida daqueles e daquelas que pela fé se comprometem com a pessoa e a missão de Jesus Cristo.





A penúltima noite do novenário em preparação para a festa de Nossa Senhora do Rosário foi a noite da juventude, em especial, dos jovens que se organizam em grupos. A celebração deste oitavo dia de novena foi realizada por frei Rogério, pároco da paróquia Nossa Senhora da Luz em Salvador Bahia. Ele também fez a meditação do subtema da noite: “Proteger a vida que é dom de Deus”.

Participando pela primeira vez da novena, frei Rogério revelou à equipe da Pascom a alegria por ter tido a oportunidade de estar presente neste momento muito importante da fé do povo católico de Remanso. O que ele percebeu foi “muita alegria e muita participação” dos devotos e romeiros de Nossa Senhora do Rosário. Também ficou encantando com a quantidade de pessoas presentes na praça, com as apresentações, com a juventude, as crianças e a sede de fé do povo.
 
Frei Rogério - Pároco da Paróquia Nossa Senhora da Luz - Pituba - Salvador/BA
(pregador da 8ª noite) 


Em sua pregação, frei Rogério afirmou que “a vida humana é o maior tesouro que Deus deixou no mundo”, por isso nós, cristãos e cristãs, precisamos promovê-la. Nós temos que ser o bom samaritano, “os anjos de carne e osso, que devem ter as mãos estendidas para ajudar as pessoas que mais precisam”, exortou o pregador da noite.

Refletindo o trecho do Evangelho de São Lucas que fala do bom samaritano (Lc. 10, 25-37), frei Rogério afirmou que sempre existe alguém que precisa de ajuda e cuidado. O próximo que precisa de ajuda é aquela pessoa que é incapaz de se ajudar, independentemente de raça, religião, nação ou classe social. “As pessoas necessitadas são aquelas que não podem fazer nada por si mesmas”, garantiu frei Rogério.

A fé na pessoa e na missão de Jesus converte o coração pela força do amor feito serviço e doação. A ação do Espírito Santo torna a vida mais dinâmica, livrando a pessoa do comodismo e do egoísmo. O amor se torna um gesto concreto de solidariedade, fraternidade e senso de justiça.


A dinâmica do amor de Deus nos projeta na direção da pessoa necessitada, pois a lógica Dele nos revela que o que as pessoas mais necessitadas precisam é de um olhar misericordioso e acolhedor. Para transformar o mundo segundo a sua vontade, Deus conta com a participação de pessoas que sejam capazes de, por meio da fé, contemplar, no presente, uma realidade ideal que viverão de maneira plena no futuro. Assim, serão capazes de manter sempre viva a esperança de um mundo melhor. É como afirmou frei Rogério: “Deus precisa de pessoas ocupadas com o coração do bom samaritano”. 

Confira mais fotos.

 
 

O convidado para presidir a celebração da sétima noite do novenário em honra a Nossa Senhora do Rosário, bem como fazer a reflexão do subtema da noite, foi padre Bernardo, pároco da paróquia de Nossa Senhora de Lourdes de Campo Alegre de Lourdes.  Segundo ele, “a fé do povo de Remanso é muito viva. O povo de Remanso preparou e participou com muito amor, com muito carinho e com muita fé desta noite, mostrando que tem fé em Jesus Cristo e em Nossa Senhora do Rosário”.

Refletindo o subtema da noite “Trabalho escravo, jamais”, pe. Bernardo afirmou que “em pleno tempo de democracia, onde se defende o direito da liberdade e da dignidade da pessoa humana, com mais de 100 anos após a abolição da escravidão, existe de forma quase invisível e oculta a prática do tráfico humano, que é uma forma moderna de escravidão”.

No livro do Êxodo (22, 20-26), o autor sagrado mostra que Deus escuta o clamor de seu povo e não tolera a escravidão e as injustiças. Assim, “o clamor das vítimas do tráfico humano, tantas vezes sufocado e não ouvido por nossa sociedade, grita até o céu”, concluiu pe. Bernardo.

“A Palavra de Deus é categórica. Deus jamais aceita a escravidão e a exploração; e mais ainda, Deus não condena apenas toda forma de escravidão, mas liberta as vítimas da escravidão”, afirmou o pároco de Campo Alegre de Lourdes. No Evangelho de São Lucas (4,18), Jesus, o Deus conosco, diz: “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me ungiu para pregar a Boa-Nova aos pobres. Ele me enviou para proclamar a liberdade aos presos e a recuperação da vista aos cegos, para libertar os oprimidos”.

“Jesus veio anunciar aos pobres, que são as principais vítimas da exploração e das injustiças, a Boa-Nova de que são amados por Deus e tem o direito a uma vida digna”, garantiu pe. Bernardo. Nós cristãos e cristãs, enquanto seguidores de Jesus, também devemos assumir a missão de Cristo, que é libertar os pobres e oprimidos de todas as formas de escravidão e injustiça. Não podemos nos aprisionar no pecado do comodismo e do egoísmo, mas sim ir ao encontro do outro que sofre. “Somente podemos libertar e anunciar a Boa-Nova de Jesus se nos colocarmos no lugar das vítimas e sermos capazes de sentir sua dor”, afirmou o pregador da sétima noite do novenário.

O que podemos e devemos fazer de concreto para combater a realidade do tráfico humano em nossa sociedade e em nosso país? Padre Bernardo sugere quatro atitudes:

1) Tomar conhecimento desta realidade triste e chocante e procurar compreender como funciona este tipo de escravidão e como nós e a nossa sociedade muitas vezes contribuímos para que ela aconteça. Temos que olhar para esta realidade com o coração de Deus que ama todos os seus filhos e filhas;
2) Duvidar sempre de propostas de emprego fácil e lucrativo;
3) Denunciar com determinação e coragem aos órgãos competentes casos de tráfico humano;

4) Não comprar produtos de empresas denunciadas por vender produtos fabricados através das vítimas do tráfico humano. 

Confira mais fotos

Acolhida da Palavra

Altar
Acolhida da Palavra
Momento em que é apresentada a Palavra
7ª Noite - Anjinha
7ª Noite - Anjinha
7ª Noite - Anjinha
7ª Noite - Pe. Bernardo (destaque)
7ª Noite - momento em que é incensada a Imagem de Nossa Senhora do Rosário
7ª Noite - Preces dos fiéis (Livinha)
7ª Noite - Coroinha Fernando
7ª Noite - Momento do Ofertório (Beronice - Presidenta do STR de Remanso)
7ª Noite - Coroinha
7ª Noite - Momento da Bênção do Santíssimo (Pe. Bernardo - pregador na noite)
7ª Noite - Momento da Bênção do Santíssimo (Pe. Bernardo - pregador na noite)
7ª Noite - Momento da Ação de Graças
7ª Noite - Momento da Ação de Graças


A sexta noite do novenário em preparação para a festa de Nossa Senhora do Rosário aconteceu neste domingo, 26/10. O subtema proposto para reflexão foi “Missão para libertar: ‘Enviou-me para anunciar a libertação (Lc. 4,18)” e a pregadora da noite foi a nossa querida irmã da Conferência de São José de Chambéry, Irª Cleide, que atualmente realiza sua missão aqui na comunidade de Remanso.

Todos os anos o novenário de Nossa Senhora do Rosário presta homenagem a alguma pessoa que fez da sua vida um sinal do amor de Deus no mundo. Este ano, a grande homenageada foi Irª Joana Margarida, que durante vários anos dedicou sua vida ao serviço da comunidade remansense.

Refletindo o trecho do Evangelho de São Lucas (Lc. 4,18), Irª Cleide lembrou-nos que “ao falar na Sinagoga, Jesus assumiu as palavras do Profeta Isaias (Is. 61, 1-2), em que anunciava a todas as nações a sua missão de ungido do Senhor”. Disse também que este trecho do Evangelho nos relata “o programa central da vida e da missão de Jesus aqui na terra”. “Jesus acolheu essa missão pelo poder do Espírito”. “Anunciou a Boa-Nova, proclamou a libertação aos cativos, recuperou a vista aos cegos, livrou os oprimidos e proclamou o perdão e a misericórdia do Senhor”. Esta foi a grande missão de Jesus aqui na Terra.

Prosseguindo em sua reflexão, Irª Cleide afirmou que “como batizadas (os), discípulas (os) de Jesus de Nazaré, todos nós temos a mesma missão”. Seja através da Palavra que anunciamos, seja pela oração que fazemos, pelo bem que realizamos; seja através da acolhida que fazemos, pela inclusão dos excluídos e marginalizados da sociedade; pela esperança que transmitimos aos desesperados e violentados, pela caridade que praticamos ao próximo e pela que fé testemunhamos, nós vamos atualizando a missão de Jesus no mundo.

Sem dúvidas, Irª Joana Margarida foi um sinal vivo da presença do Reino entre nós, pois “através de sua presença simples, muito amorosa, deu a sua contribuição, desenvolvendo do seu jeito, o programa de vida de Jesus”, recordou-nos Irª Cleide.

A seguir publicamos um texto-poema de autoria de Irª Cleide intitulada “Bem aventurada Irmã Joana Margarida”. O mesmo foi declamado pela autora ao final de sua pregação.


Irmã Cleide - Remanso - Pregadora da 6ª Noite

Bem-Aventurada Irª Joana, que soube acolher com amor e alegria as pessoas, fazendo da sua vida uma oração e da oração a sua vida.

Bem-Aventurada Irª Joana Margarida, que foi presença de pertença no meio do povo remansense, sendo amante da comunhão e de seu carisma de unidade, cativando muitas pessoas a viveram e cativando muitas vocações.

Bem-Aventurada Irª Joana, que com coragem, sabedoria, corresponsabilidade, assumiu a travessia da vida comunitária como escolha própria e existencial.

Bem-Aventurada Irª Joana, que teve uma visão e o cuidado com o planeta, assumindo uma postura de sensibilidade e indignação, contribuindo com a construção de cisternas nas comunidades rurais.

Bem-Aventurada Irª Joana Margarida, que soube viver sua vocação de mulher e de mulher consagrada, pelo seguimento a Jesus de Nazaré, vivendo a força do testemunho pelo caminho dos votos de pobreza, obediência e castidade.

Bem-Aventurada Irª Joana, que soube partilhar seus dons e talentos, promovendo muitas vidas.

Bem-Aventurada Irª Joana, que soube viver com muita intensidade sua espiritualidade na mística da Trindade, Encarnação e Eucaristia.

Obrigada Irª Joana por sua vida. Vida doada e consumida em Remanso, onde com sua ajuda conhecemos o Rosto de Deus Pai-Mãe e amigo de todas e todos”.   

Confira mais fotos

Procissão de Entrada
Procissão de Entrada - Coroinhas
6ª Noite - Padre Benedito - Remanso/BA
6ª Noite - Padre Benedito - Remanso/BA
6ª Noite - Procissão de Entrada - Pastoral da Pessoa Idosa - Noiteira
6ª Noite - Procissão de Entrada - Vicentinos - Noiteiro
6ª Noite - Procissão de Entrada - Pastoral da Criança - Noiteira
6ª Noite - Procissão de Entrada - Grupo de Libertação AA - Noiteiro
6ª Noite - Grupo de Canto Revivendo em Cristo - Animação
6ª Noite - Procissão de Entrada da Palavra
6ª Noite - Procissão de Entrada da Palavra
6ª Noite - Anjinha - Carro em homenagem à Irmã Joana


O subtema proposto para a reflexão nesta quinta noite do novenário de Nossa Senhora do Rosário foi “Reino de Deus, evangelização e compromisso social”. Nesta quinta noite, a comunidade católica de Remanso acolheu o casal de pregadores Fátima e Marcos, missionários da comunidade Mãe Imaculada, cujo carisma é promover a restauração espiritual dos filhos de Deus, possibilitando a eles a descoberta de uma vida nova em Cristo.

Refletindo o trecho do Evangelho de São Lucas (Lc. 9, 10-17) em que é relatado o milagre da partilha, os pregadores da noite lembraram a todos os devotos e romeiros de Nossa Senhora reunidos na praça que Jesus é o exemplo e modelo completo de evangelizador. “Jesus é para nós referência daquele que evangelizou; que levou o anúncio da Palavra, mas que também foi atento às necessidades do outro. Ele quis nos mostrar que devemos, com a nossa vida, evangelizar e também está atento ao outro, aquilo que o outro necessita”, afirmou à missionária Fátima em entrevista concedida a equipe da Pascom.

Jesus anunciou o Reino de Deus não somente com sua pregação, mas, sobretudo, com sua própria vida. Ele nos convida também a fazermos o mesmo.

Exemplo de evangelizador que ama com a vida e com as ações, Jesus sempre foi atento às necessidades do povo. Ele veio para dar a vida em abundância. Veio trazer o Reino de Deus por completo, satisfazendo as necessidades do povo, tanto as espirituais, quanto as materiais. A Igreja, cuja missão é continuar o anúncio da Boa-Nova do Evangelho de Jesus Cristo, precisa ser uma Igreja de saída. “Nós enquanto católicos, que nos dizemos e nos consideramos católicos, nós precisamos, de verdade, ter este compromisso de levar a Palavra para o outro. Nós não podemos ficar com esta Palavra para nós, mas nós temos que buscar mais irmãos e também fazer nossa parte socialmente, [ajudando nosso irmão na sua necessidade concreta]”, exortou o missionário Marcos em entrevista concedida a Pascom após o término da celebração da quinta noite do novenário.


O que Maria pede a cada católico e a cada católica é muito mais que uma simples devoção. Ela que sempre esteve atenta às necessidades do povo (Lc. 1, 39-40 e Jo. 2,3), aponta cada um de nós a seu filho Jesus, pedindo que assumamos em nossa vida, com autenticidade e alegria, o Seu compromisso de anunciador do Reino ao mundo. Quando nós nos enchemos do amor de Deus, somos impulsionados a ir ao encontro do outro, sobretudo, aos mais necessitados.

Na celebração da quarta noite do novenário de preparação para a festa de Nossa Senhora do Rosário, o subtema proposto para reflexão foi “As agressões à dignidade humana são agressões a Cristo”. O celebrante da noite, padre Josemar Mota, pároco do Santuário de Nossa Senhora das Grotas em Juazeiro Bahia, refletiu o subtema a partir da leitura do trecho do Evangelho de São Mateus (Mt. 25, 31-46), em que Jesus fala do juízo final e se identifica com os pobres, sofredores, marginalizados e excluídos da sociedade.

Todos nós fomos criados a imagem e semelhança de Deus. “Nós somos seguidores de um Deus que se tornou homem, tornou-se gente. Jesus Cristo é Deus conosco, um Deus humano”, afirma pe. Josemar em entrevista concedida a Pascom. Contemplando o mistério da encarnação, Deus, na pessoa de Jesus, assumiu a condição humana, partilhando as alegrias e o sofrimento humano, sacralizando, assim, a dignidade da pessoa humana.

Em sua missão na Terra, Jesus anunciou o Reino de Deus, resgatando com suas palavras aqueles que são marginalizados e excluídos. As atitudes e gestos de Jesus sempre foram marcados pela inclusão, lembrou pe. Josemar durante sua pregação. Recordou ainda que Jesus identificou-se com os sofredores, pobres, abandonados e excluídos da sociedade. Por isso, no dia do juízo final cada um de nós será julgado a partir da nossa prática de justiça em favor da libertação dos pobres e oprimidos, resgatando neles a dignidade de filhos e filhas de Deus.

Recordando a mensagem profética de Dom José Rodrigues, pe. Josemar afirmou que “a Boa-Nova de Jesus ou é uma palavra de libertação ou não é o Evangelho de Cristo”. “A justiça é a palavra de Deus agindo no nosso meio” e “a justiça é o primeiro caminho para a caridade e para a solidariedade”, garantiu pe. Josemar Mota. A fé cristã significa reconhecimento e compromisso com a pessoa de Jesus Cristo. Portanto, uma fé autêntica torna-se solidariedade, caridade e justiça, porque Jesus anunciou, viveu e praticou a solidariedade, a caridade e a justiça.

Os cristãos e as cristãs são os continuadores da missão de Jesus, que é anunciar as maravilhas do Reino de Deus. A Igreja deve ser, portanto, sinal do amor de Deus no mundo. Não faz sentido uma fé que somente fica no louvor. A nossa fé deve ser uma fé que “nos faz encontrar Cristo no louvor e na ação solidária para com os nossos irmãos que sofrem”, frisou pe. Josemar.


Esta quarta noite foi marcada também pela bonita homenagem que as crianças da catequese, juntamente com as catequistas de nossa paróquia, fizeram a nossa inesquecível Irª Joana Margarida. Segundo pe. Josemar Mota, “a irmã Joana foi daquelas pessoas que encontrou neste mundo a sua real vocação e viveu esta vocação na alegria, na simplicidade, doando sua vida aos outros. Ela marcou a história da cidade de Remanso. A Irª Joana é um exemplo de cristão comprometido com o Reino de Deus. A Irª Joana foi para nós um instrumento de Deus”. 

Confira entrevista com pe. Josemar