Festa em honra a Santa Francisca Xavier Cabrini

09:22 - Não comentado


A comunidade do Centro Comunitário Madre Cabrini convida a todos a participarem do Tríduo de preparação da festa em honra a Santa Francisca Xavier Cabrini a realizar-se entre os dias 12 e 15 de agosto de 2015 a partir das 19h30min h. O tema será: A exemplo de Cabrini, sejamos humildes e procuremos servir a nossa comunidade. 

Confira a seguir a programação:

Dia 12

Sub-Tema: Para que os cristãos, comprometidos com Cristo, trabalhem por uma sociedade solidária e fraterna.

Noiteiros: Comunidade de São Francisco, Marcos, São Vicente de Paulo, Imaculado Coração de Maria, Madre Cabrini, Coração de Jesus, Irmã Dulce, São José (Creche), São Joaquim e Santana, Grupo de Idosos, Coral Marcos, Terço dos Homens e Quadras 01, 10, 12 e 20.

Pregadora: Irmã Cleide

Comentaristas: Profª Eni Barbosa e Profª Maria Aparecida (Profª Cida)
 

Dia 13

Sub-Tema: Que Cabrini, junto com seus devotos, vivam uma Igreja missionária de fé e vida.

Noiteiros: Escola Municipal Profª Ferreira de Castro, Escola Girassol, Renovação Carismática, Vicentinos, Coral Revivendo em Cristo, Legionários, Quadras 16 e 17.

Pregadora: Profª Lilian Nepomuceno

Comentaristas: Profª Egiane G. Barros e Profª Lucíola L. Albuquerque.


Dia 14

Sub-Tema: Cabrini, abençoe as comunidades para acolher com amor a Palavra de Deus.

Noiteieros: Crianças, adolescentes, jovens, Pastoral da Criança, Pastoral do Idoso, Catequistas, Catequisandos, Ministros da Eucaristia, E.C.C e Quadras 05 e 07.

Pregador: Profº Thiago

Comentaristas: Márcio Garcia N. da Silva e Profª Nilmara Pereira Nascimento.
 

Dia 15 – FESTA EM HONRA A SANTA FRANCISCA XAVIER CABRINI

06h – Alvorada Festiva

19h – Procissão: saída da residência do Srº Eginaldo Lopes Barros (Gal), Av. Décio Castelo Branco, nº 566, passando na Rua Euclides da Cunha, seguindo a Av. Pres. João Figueiredo, sentido Centro Comunitário Madre Cabrini.

Coral Servos do Senhor

Comentaristas: Profª Terezinha Maria Rodrigues Alves e Profª Ana Araceli Brito Alves.

Paróquia de Remanso realiza primeira reunião de preparação da festa de Nossa Senhora Rosário

09:15 - Não comentado


Na última quarta-feira, 29/07/15, aconteceu a primeira reunião de preparação dos festejos em honra a Nossa Senhora do Rosário. A reunião contou com a presença do pe. José Benedito e de pessoas ligadas a movimentos, pastorais, grupos e comunidades da paróquia de Remanso.

Durante o encontro, houve a prestação de contas da equipe que organizou o Bloco da Família, que participou da Micareta deste ano. Lembrando que o dinheiro arrecadado vai ser investido no término da construção do centro comunitário Irª Dulce localizado no bairro do BNH.

Ademais, os participantes da reunião fizeram uma avaliação da Romaria do Povo de Deus realizada este ano na comunidade do Espinheiro. De modo geral, todos avaliaram de maneira positiva a romaria, destacando o trabalho da equipe responsável pela condução da caminhada, o acolhimento dos moradores do Espinheiro e a distribuição dos folhetos sobre a conscientização de como cuidar da água.

Em seguida, foram definidas as equipes que irão preparar o novenário de Nossa Senhora do Rosário. É bom lembrar que esta foi a primeira de várias reuniões que irão acontecer e por isso esperamos a participação de todos que fazem parte da comunidade igreja em Remanso.

Paróquia de Pilão Arcado sedia encontro de formação para jovens do PARECAL

14:52 - 1 comentário
Aconteceu nos dias 25 e 26 de Julho do corrente ano a Escola de Formação da Juventude “Dom José Rodrigues” com jovens de diversas expressões juvenis do PARECAL no centro de formação Palmeira de Elim (Roça dos Padres) no município de Pilão Arcado.  A escola de formação contou com a participação ativa de cerca de 45 jovens representantes das cidades de Campo Alegre de Lourdes, Pilão Arcado e Remanso.
 
De nossa paróquia participaram da escola de formação 14 jovens representantes dos grupos de Coroinhas, Recepção, Renovação Carismática e PJMP. Organizado pelo grupo de jovens de Pilão Arcado e jovens da coordenação do Setor Juventude, esta formação foi estruturada tematicamente pelas dimensões que foram refletidas durante esses dias, os mesmos passados por jovens de nossa diocese Elio Batista, Professora Naiane, Nisse (PJMP) e pelos seminaristas Jodean e Cicero Diego, que de forma clara e sucinta repassou os seus conhecimentos aos jovens participantes da escola de formação.
As dimensões trabalhadas nesses dois dias foram: Dimensão Humana, Dimensão Comunitária, Dimensão Espiritual, Dimensão Intelectual e Dimensão Pastoral Missionária. Dimensões essas que ajudou os jovens de nosso regional a estarem mais próximos dos seus ideais, estando a serviço da vida e da igreja e de forma especial, a manterem um projeto de vida qualificado, ouvindo sempre a voz do Senhor que está a todo tempo em auxilio de nossas vidas e dos nossos sonhos.
Com essa escola de formação os jovens de Remanso e das demais cidades comprometeram-se a repassar todo conhecimento e experiência aos demais jovens e grupos de suas paróquias. Agradecidos a Paróquia Nossa Senhora do Rosário, em nome do nosso Pároco Pe. José Benedito, pela oportunidade e pela credibilidade aos jovens desta paróquia, fazemos nossos agradecimentos a todos!










 
(Coordenação da PJMP de Remanso).

Remanso comemora o dia das trabalhadoras e trabalhadores Rurais

18:39 - Não comentado


Ao som da sanfona, trabalhadoras e trabalhadores rurais de Remanso deram início a 20ª Comemoração Nacional dos Trabalhadores/as Rurais, que este ano contou com o tema: “Políticas públicas que ajudamos a construir”. O festejo começou na manhã da última sexta-feira (24), com caminhada saindo da sede do Sindicado dos Trabalhadores Rurais (STR) até o Centro Social da cidade, que sediou a seminário temático.

A mesa do seminário, “Políticas públicas que ajudamos a construir”, foi composta por Padre José Benedito Rosa pároco de Remanso; Beronice Ferreira da Silva, conhecida como Beró, presidente do STR; Domingos Gomes, representante da Comissão Pastoral da Terra (CPT), Risoneide Gomes, representante do Conselho Pastoral de pescadores/as (CPP), Rose Barbosa, representando o Serviço de Assessoria a Organizações Populares Rurais (Sasop); Cícero Félix, representante do Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (Irpaa) e Naidson Baptista, representante da Articulação Semiárido Brasileiro (Asa).

A CPT, através de Domingos, falou sobre a atual luta das comunidades de Fundo de Pasto de Remanso em defesa da terra e de seus territórios tradicionais e da necessidade de envolver as/os jovens nessa luta popular. Ele ainda destacou a importância da terra cumprir sua função social, que é garantir a subsistência do homem e de sua família que nela moram. “A terra cercada sem produzir alimento não está desenvolvendo seu papel social”, afirma Domingos. Risoneide Gomes, representante da CPP, apresentou a campanha Nacional pela Regularização dos Territórios das Comunidades Tradicionais pesqueiro, as ameaças que a pesca artesanal vêm sofrendo diante dos grandes projetos e empresas, como mineradoras, da energia eólica, piscicultura, além de abordar a contribuição da pesca artesanal na luta pela soberania alimentar.

A pedagoga Rose Barbosa, expôs o trabalho que o Sasop está desenvolvendo com as famílias rurais em Remanso. Também abordou a necessidade de envolver os/as jovens no dia a dia da comunidade, para garantir sua permanência nas comunidades rurais. O Coordenar Geral do Irpaa, Cicero Felix, junto ao Articulador municipal Agostinho Ferreira, falaram da inclusão produtiva no Plano Brasil Sem Miséria, através do projeto Ater, que é gestado pelo Irpaa no município. Cícero pontuou ainda a necessidade dos/as agricultores/as compreenderem que a imagem de um Brasil em crise que a grande mídia persiste em mostrar não é real. “É verdade que temos problemas, mas com nossas lutas conseguiremos mudar muita coisa”, afirmou.

O representante da Asa, Naidson Baptista, fez uma analise da conjuntura política atual no Brasil, abordando que no país existem dois modelos de desenvolvimento, o lado da concentração para poucos e outro lado buscando compartilhar. Ele ressalta ainda que nos últimos anos o “processo da partilha começou a caminhar” e complementa ainda falando que “o Brasil de hoje não é o Brasil da rede globo, o da rede globo é um pedaço da mentira do Brasil”. Naidson também parabenizou os agricultores e agricultoras pelas políticas públicas conquistadas através da organização popular, a exemplo do acesso às tecnologias sociais, assessoria técnica e extensão rural, habitação, entre outras.

A agricultora e líder comunitária Delzuíta Ferreira destaca a importância da organização e envolvimento da população na luta pelas políticas públicas e se orgulha de lutar a 50 anos pela melhoria de sua comunidade. “De pouquinho em pouquinho eu trago as coisas pra minha comunidade”, afirmou a agricultora.

No período da tarde a comemoração seguiu com o campeonato de futebol masculino e feminino com times das comunidades rurais. O dia em comemoração aos trabalhadores/as rurais já é festejo tradicional do município, organizado pelo STR de Remanso. De acordo com Beronice, “na semana do dia 25 a gente reivindica e comemora várias políticas que nós trabalhadores e trabalhadoras rurais conseguirmos conquistar... e os/as trabalhadores/as já tem essa data em seus calendários” pontua.

O dia da/o trabalhadora/o é comemorado no dia 25 de julho. A data foi instituída no decreto de Lei n° 4.338, no ano de 1964, e há 20 anos Remanso comemora a data na semana do dia 25 de julho.

Texto e Fotos: Comunicação Irpaa

Comunidade do Espinheiro recebe a 9ª Romaria do Povo de Deus

17:02 - Não comentado

Aconteceu neste domingo, 19/07/15, na comunidade do Espinheiro a nona edição da Romaria do Povo de Deus. Este é um momento oportuno para o povo manifestar sua fé e refletir temas atuais e de grande relevância para uma vida comunitária. Neste ano, o tema escolhido para reflexão foi “Preservar a água é cuidar da vida”.

Durante a caminhada, o povo cantou, rezou e refletiu sobre três temas relacionados à questão do cuidado e preservação da água: agrotóxicos, Lei do Saneamento e resíduos sólidos. O Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo, sendo que 99% destas substâncias utilizadas na agricultura vão para os rios, solos, ar e água subterrânea.

De todo esgoto coletado, 63% vão para praias e rios. O Brasil possui um Plano Nacional de Saneamento Básico que prevê investimentos na ordem de 420 bilhões de reais para sanear o país em até 20 anos. O decreto federal nº 8.211/2014 estipula que até o fim de 2015 todo município brasileiro tem que apresentar seu Plano Municipal de Saneamento Básico, cuja elaboração tem que envolver toda a sociedade.

A destinação inadequada dos resíduos sólidos (lixo) contribui para, entre outros impactos, a contaminação do solo e dos fluxos hídricos. A lei 12.305/10 fala sobre a prevenção e redução dos resíduos sólidos a partir de hábitos de consumo sustentável, da reciclagem e da reutilização do lixo.

Para Lurdinha da equipe do SASOP, “é um grande alegria ver que o pessoal está participando deste momento não só pela questão da oração, mas também por uma questão de conscientização, porque no momento em que a gente reflete sobre isso [a água] acredito eu que mais consciente fica o povo”. A romaria “é um momento de esclarecer certas coisas, de abrir os olhos das pessoas, principalmente daqueles que menos preservam a natureza, que mais gasta água”.



Já para Rosana Araújo, uma das lideranças da PJMP em Remanso, a romaria foi de suma importância não só para o povo cristão, mas também para a sociedade como um todo, pois levou “a conscientização do bom uso da água, da preservação da água”. Ela lembrou ainda o valor das cisternas para a vida dos moradores da zona rural. Já Reilson Araújo, também da PJMP, destacou a participação bastante expressiva da juventude na romaria, mostrando que ela se interessa em fazer algo de importante para as comunidades.

Para Dora da comunidade do Espinheiro, a romaria “foi maravilhosa” e certamente irá contribuir para fortalecer a fé do povo do Espinheiro.  

Um dos momentos marcantes da romaria aconteceu durante a celebração da Missa, quando houve a benção da água, que foi identificada por Agostinho Neto, articulador do IRPAA em Remanso, na comunidade do Novo Marcos. Em seguida, a água foi aspergida sobre o povo. Agostinho possui o dom de identificar água no subsolo, técnica que é popularmente conhecida como vedor.



A romaria terminou com o tradicional café-da-manhã fruto da partilha dos alimentos trazidos pelos romeiros.  

Confira fotos da 9ª Romaria clicando AQUI.

Em discurso aos Movimentos Populares, Papa Francisco pede o empenho de todos na construção de uma economia justa, solidária e fraterna

11:19 - Não comentado
Em sua visita a Bolívia, o papa Francisco participou do Encontro Mundial dos Movimentos Populares em Santa Cruz de la Sierra, no dia 09/07/2015. Na oportunidade, proferiu um discurso considerado por várias lideranças de movimentos populares como “irretocável”. Nas palavras do teólogo brasileiro Leonardo Boff a presença de Francisco nos três países mais pobres da América Latina (Equador, Bolívia e Paraguai) apenas confirma sua opção preferencial pelos pobres. “Ele escolheu exatamente os três países mais pobres da América Latina, que são também os mais ocupados e habitados por indígenas. Uma causa que ele sempre defendeu, seja como Cardeal, e agora como Papa. Então, é dar privilégio a esses que não contam historicamente, e ele quer apoia-los”, afirma Boff.


(Foto: Reuters/Osservatore Romano)
Mídia brasileira desnorteada concentra-se no presente que
Evo Morales deu a Francisco e não escreve uma linha
sobre seu discurso em Santa Cruz de la Sierra

O discurso de Francisco foi uma crítica ao capitalismo e uma reflexão sobre a necessidade de se mudar o sistema econômico que promove a idolatria do Dinheiro, colocando o serviço ao Bem Comum em segundo plano, por uma “economia verdadeiramente comunitária”, de inspiração cristã, que garanta aos Povos “dignidade, prosperidade e civilização em seus múltiplos aspectos”.

Em um trecho de seu discurso, o papa faz a seguinte denuncia: “quando o Capital se torna um ídolo e dirige as opções dos seres humanos, quando a avidez do dinheiro domina todo o sistema sócio-econômico, arruína a sociedade, condena o Homem, transforma-o em escravo, destrói a fraternidade inter-humana, faz lutar povo contra povo e até, como vemos, põe em risco esta nossa Casa Comum”. Em seguida, afirma que esta dura e cruel realidade evidencia a existência de uma “ditadura sutil”.

Segundo Francisco, a avalanche de notícias negativas veiculadas todos os dias pela mídia, bem como os vários diagnósticos nada promissores sobre o futuro da humanidade podem nos conduzir a duas situações: ou um “pessimismo charlatão”, ou a “rejubilação com o negativo”. Porém, o anseio por mudança, que toca até mesmo o coração triste de muitos que se beneficiam com o sistema, inspira-nos a apontar caminhos e a valorizar as muitas formas de economia solidária já adotadas.

A verdadeira mudança, lembra o pontífice, enriquece-se “com o trabalho conjunto de governos, movimentos populares e outras forças sociais”. Mas qual deve ser o conteúdo desta mudança? Francisco admite que não seja fácil defini-lo. “Não esperem uma receita deste papa. Nem o papa nem a Igreja têm o monopólio da interpretação da realidade social e da proposta de soluções para os problemas contemporâneos”. Mas aponta alguns caminhos e sugere alguns exemplos.

 A economia precisa estar a serviço dos povos. “Digamos não a uma economia de exclusão e desigualdade, onde o dinheiro reina em vez de servir. Esta economia mata. Esta economia exclui. Esta economia destrói a Mãe Terra”.

A Casa Comum precisa ser zelosamente cuidada e os bens distribuídos adequadamente entre todos. “Uma economia justa deve criar as condições para que cada pessoa possa gozar duma infância sem privações, desenvolver os seus talentos durante a juventude, trabalhar com plenos direitos durante os anos de atividade e ter acesso a uma digna aposentação na velhice. É uma economia onde o ser humano, em harmonia com a natureza, estrutura todo o sistema de produção e distribuição de tal modo que as capacidades e necessidades de cada um encontrem um apoio adequado no ser social”.

Engana-se quem pensa que a humanidade não produz o suficiente para o desenvolvimento integral de todos e de todas. O problema, recorda Francisco, é que existe “um sistema que, apesar de acelerar irresponsavelmente os ritmos da produção, apesar de implementar métodos na indústria e na agricultura que sacrificam a Mãe Terra na era da ‘produtividade’, continua a negar a milhares de milhões de irmãos os mais elementares direitos econômicos, sociais e culturais”. Esta realidade é um atentado contra o projeto de Jesus.

Em outra passagem forte de seu discurso, Francisco afirma: “a justa distribuição dos frutos da terra e do trabalho humano não é mera filantropia. É um dever moral. Para os cristãos, o encargo é ainda mais forte: é um mandamento”. Ele também relativiza o conceito de propriedade privada, dizendo que “o destino universal dos bens não é um adorno retórico da Doutrina Social da Igreja. É uma realidade anterior à propriedade privada”. Portanto, “a propriedade, sobretudo quando afeta os recursos naturais, deve estar sempre em função das necessidades das pessoas. E estas necessidades não se limitam ao consumo”.

Sobre os Movimentos Populares e sua atuação, o papa Francisco dirige-lhes belas palavras: “vós sois poetas sociais: criadores de trabalho, construtores de casas, produtores de alimentos, sobretudo para os descartados pelo mercado global”. Em seguida, elenca várias experiências capazes animar a caminhada daqueles e daquelas que lutam por uma economia justa, fraterna e solidária, a exemplo das várias cooperativas, empresas recuperadas, feiras francas e cooperativas de catadores de papelão.

Francisco encerra seu discurso pedindo que Estado e Organizações Sociais assumam o compromisso os “3T” (trabalho, teto e terra) e conclamando a todos a dizerem:

“Nenhuma Família Sem Teto,
Nenhum Camponês Sem Terra,
Nenhum Trabalhador Sem Direitos,
Nenhum Povo Sem Soberania,
Nenhuma Pessoa Sem Dignidade,
Nenhuma Criança Sem Infância,
Nenhum Jovem Sem Possibilidades,
Nenhum Idoso Sem Uma Veneranda Velhice”.


Referências:



Para ler sobre a cobertura (ou melhor, a falta dela) pela mídia brasileira do discurso do papa acesse: http://www.viomundo.com.br/denuncias/desnorteada-com-o-discurso-do-papa-na-bolivia-midia-foca-em-crucifixo.html

Para ouvir ou ler a entrevista de Leonardo Boff sobre a visita do papa aos países da América Latina acesse: http://www.conversaafiada.com.br/economia/2015/07/06/boff-viagem-do-papa-e-para-os-mais-pobres/

Para ler um exemplo de cobertura da grande mídia brasileira a visita do papa a Bolívia acesse: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/07/religiosos-consideram-presente-de-evo-morales-ao-papa-uma-provocacao.html


Por Marcos Paulo


Leigas do Pequeno Projeto recebem visita das Irmãs de São José da comunidade de São João dos Patos

11:07 - Não comentado

As Leigas do Pequeno Projeto e irmãs de São José da comunidade de São João dos Patos Maranhão estarão nos visitando nos dias 11 e 12 de julho. Vai ser um momento de convivência e oração junto com as leigas (os) e irmãs daqui da comunidade de Remanso. E no dia 12 pela manhã o grupo vai participar conosco da Celebração Eucarística. Na oportunidade, logo após a missa, vai estar exposto para vender no Centro Social um artesanato confeccionado pelo grupo de São José dos Patos Maranhão com o objetivo de arrecadar fundos para os grupos poderem participar de um encontro de leigas de todo o Brasil, que acontecerá em janeiro de 2016 em Garibaldi Rio Grande do Sul.


Convidamos toda a comunidade, grupos e famílias para conhecer e colaborar, comprando um artesanato diferente e de qualidade. São peças lindas e úteis que serão vendidas num custo de R$ 10,00 cada uma. Agradecemos a presença e colaboração de todos (as).  

Encontro de jovens da PJMP de Remanso

10:57 - 1 comentário

No sábado passado, 4, ocorreu um encontro com jovens da paróquia de Remanso. Este encontro, da PJMP, foi sediado no Centro Social.

Desde junho, os jovens se reúnem e retomaram a volta, em prática, da Pastoral da Juventude do Meio Popular, coordenado pela estudante de Serviço Social, Rosana Araujo.

O grupo se reúne quinzenalmente, geralmente aos sábados. Em casos extraordinários – dependendo da demanda – as reuniões podem ser alteradas e dirigidas extraordinariamente.

As reuniões podem ocorrer – dependendo da escolha no encontro anterior – em dois lugares firmados: no Centro Social, próximo à Igreja Matriz, na Praça principal; e na Creche São José, na Quadra 02.

Os encontros iniciam a partir das 19h.

A PJMP, em sua origem, tem uma profunda ligação com uma ala mais popular e inclusiva da Igreja Católica, atenta às discussões dos problemas sociais, culturais e da juventude.

No último encontro, houve um diálogo sobre a “violência”, mais especificamente, a violência de classes. Um tema sério, enfrentado e dissolvido na sociedade brasileira, conduzido pela coordenadora, Rosana Araujo; pela jurista, Andressa Muniz e pelo estudante, Matheus Rodrigues.

Fazemos o convite e vem participar!

Quem quiser mais informações e participar, basta entrar em contato com Rosana Araujo, Reilson Araujo, Ramon Oliveira, Tiago da Silva, Alessandro Paes Landim (Alex da Rádio Zabelê FM), Andressa Muniz e Matheus Rodrigues.

Contatos telefônicos

Rosana Araujo: (74) 8118-6527
Alessandro Paes Landim: (74) 9141-7626
Andressa Muniz: (87) 99615-0138
Matheus Rodrigues: (74) 8137-0376

MST Regional Norte realiza XII Encontro de Educadoras e Educadores

10:51 - Não comentado

Nesses dias 1°, 02 e 03 de julho, educadoras e educadores ligados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) estão reunidos no Assentamento Luiz Nunes, no município de Casa Nova para o XII Encontro de Educadores/as da Regional Norte do MST.

Tendo como eixo norteador a temática: “A educação do MST: Espaço de construção e formação social”, o encontro reúne educadoras do movimento e/ou que lecionam em assentamentos e acampamentos nos municípios de Juazeiro, Casa Nova, Sobradinho, Remanso, Senhor do Bonfim e Curaçá.

Na abertura dos trabalhos, na manhã de ontem (1°), uma mesa inicial contou com a participação de Adailson Barbosa, da NRE 10 da Secretaria de Educação do Governo da Bahia, Maria Carmelita da Secretaria de Educação de Casa Nova, da assistente social Areta Borges, do coordenador da Regional Norte do MST, Paulo César e do vereador Tiano Felix – PT, de Juazeiro.

Após a plenária inicial, o vereador Tiano Felix proferiu uma palestra sobre a atual conjuntura política brasileira, debatendo temas como a relação entre o Governo Federal e o Congresso Nacional, lutas de classes e o Brasil no cenário político internacional. Para ele, mais do que a luta contra o latifúndio, “é preciso está atento aos diversos inimigos dos movimentos sociais, presentes no congresso, em setores do governo, no judiciário e principalmente nas grandes corporações midiáticas”.

Após o debate mais essencialmente político, a educadora da RESAB (rede de Educação do Semiárido Brasileiro) Elileuza Silva assumiu os trabalhos com uma discussão focada na educação brasileira e educação do campo, com temas como índices educacionais, Plano Nacional de Educação e sistemas de avaliação.

Até amanhã (03), as educadoras e educadores ainda irão debater a trajetória da educação do MST na Bahia, participar de grupos de trabalho sobre infância, adolescência e juventude Sem Terra, além de um GT sobre Adultos e Idosos Sem Terra, culminando com encaminhamentos para o Encontro Estadual de Educadores do MST Bahia.

Ascom

Comunicação Sertão do São Francisco. 
Pelo Direito Humano à Comunicação!

Comunidades de Campo Alegre de Lourdes, em Romaria, dizem não à mineração e todo tipo de degradação da vida.

10:58 - Não comentado
A Romaria que é organizada pela Paróquia Nossa Senhora de Lourdes e o Fórum das Entidades Populares teve a abertura na comunidade de Velame com a reflexão feita por Ruben Siqueira da CPT que deu ênfase ao sentido da Romaria ressaltando a última Encíclica do Papa Francisco que trata da Ecologia Integral dando enfoque a todas as dimensões da Vida de forma articulada: Meio Ambiente, Economia, Política, etc.

Representantes das comunidades rurais e da cidade de diversos grupos e organizações populares fizeram a tradicional caminhada de dois quilômetros em direção ao Morro do Tuiuiu, símbolo sagrado e de resistência das comunidades. Desta vez foi intercalada com uma parada para reflexão onde um animador da Comunidade de Carolino e integrante do Fórum das Entidades Populares, Sr. Valdemar, ressaltou as diversas formas de degradação da vida em Campo Alegre de Lourdes, os impactos que a mineração e o desmatamento vem causando à saúde das pessoas e ao Meio Ambiente e o convite para um compromisso maior em defesa dessas causas, clamando: ”não queremos Mineração, pois para nós basta a saúde e a paz; não à poluição, não queremos perguntar um dia cadê o nosso morro, a mineração comeu. Os campo-alegrenses dizem não à destruição... “

Continuando a caminhada com cantos alusivos à reflexão em Defesa da Natureza, os romeiros e as romeiras chegaram com muita alegria ao Morro de Tuiuiu sendo recebidos com o canto “Oi que prazer que alegria o nosso encontro de irmãos é como um banho perfumado gostosa é nossa união.”

A Romaria foi dada prosseguimento com a Missa presidida pelo pároco Pe. Bernardo Hanke, que fez diversas exortações ao compromisso em Defesa da Vida contra a sanha devoradora e cega de quem quer apoderar do solo, das águas, dos territórios das comunidades e da vida em nome do progresso e em favor do lucro.

Padre Bernardo agradeceu a todas as pessoas que contribuíram com dedicação no Mutirão para a realização da Romaria.

Com a apresentação dos padroeiros, poemas e leitura das faixas e cartazes que as comunidades trouxeram com seus gritos de denúncia, de compromisso e de esperança a Romaria foi concluída.

A Romaria em Defesa da Vida é um momento de oração, de denúncia, de animação e de compromisso pela preservação da Vida do Morro, do Povo, do Planeta. É um compromisso cristão e cidadão.




Texto e Fotos: Comissão Pastoral da Terra (CPT) 

A Opinião de Carlin sobre os ambientalistas e a Encíclica “Verde” de Francisco

10:44 - Não comentado

Neste mês em que o Papa Francisco lançou a Encíclica “Verde” com a contribuição, entre outras, dos estudos dos teólogos Leonardo Boff e Erwin Kräutler, trazemos neste artigo para indagação uma opinião do grande humorista, comediante de stand-up e ator norte-americano, George Carlin. Em seguida, mostraremos em que medida o documento elaborado por Francisco discorda das opiniões de Carlin.

Falecido em 2008, Carlin era pioneiro no humor da crítica social e do consumismo e um feroz crítico dos ambientalistas. Dizia ele em uma de suas turnês de stand-up que “os ambientalistas eram hipócritas e interferiam na natureza – impedindo o seu ciclo natural”.

No entanto, pela primeira vez na história, a Igreja traz com proposições do Papa Francisco uma Encíclica contendo estudos meticulosos sobre a ecologia, abordando temas acerca da natureza e sua degradação pelas atividades humanas. Trata também, em especial, “do modo de produção e distribuição dos países ricos com seríssimas interferências na saúde da mãe Terra”.

A extinção da espécie humana pode vir de diversas maneiras – em quase todas seria pela falta de recursos alimentícios e minerais para o suprimento de uma população que cresce exponencialmente – sendo uma consequência de atividades estritamente humanas. Além disso, o ser humano é também responsável pela extinção de diversas espécies animais.  

A falta de recursos – quando agrava as preocupações logísticas locais e com finalidade de movimentação econômica – pode ocasionar uma guerra, como ocorrido no Kuwait, em 1990 na Guerra do Golfo, por petróleo. Se houve uma guerra por petróleo, imagina quando forem recursos imprescindíveis à sobrevivência humana, como água e alimentos.

Eis uma análise da ecologia

Em face do que vemos, é inegável o comportamento dos fenômenos climáticos, com alteração nas últimas décadas/anos tem relação ao modo de produção e exploração dos recursos naturais, manejo puramente humano.

Durante todo o processo de revolução industrial – que inicia em 1750, na Inglaterra – o desenvolvimento econômico não era alinhado a uma prática “sustentável”. Essa ideia, que no passado pouco importava, atualmente é imprescindível, pois a lógica deste modelo econômico ligado ao lucro-capital e aquisição de bens de “valor” e de que é preciso produzir em excesso, trazendo como consequência a degradação ambiental.




Carlin nega os dados e Francisco os traz  na Encíclica


George Carlin

Ocorrências à parte, Carlin negava os dados, embora a natureza seja responsável pelo seu próprio ciclo. Nega, ainda, um dado alarmante, pois, atualmente, a população humana é de pouco mais de sete bilhões de pessoas. Em contrapartida, apenas três bilhões têm um padrão de vida que pode ser considerado confortável. Os quatro bilhões e pouco restantes padecem de algum tipo de carência, seja alimentar, de saúde, de educação, de habitação, água, trabalho ou outros direitos considerados universais, mas que não estão universalizados. Ou seja, além de sermos responsáveis pelas mudanças climáticas, também, não universalizamos o que produzimos.

As atividades humanas causam desastres cotidianamente, como, por exemplo: (a) aumento da poluição, com uma atividade de produção desordenada e com excessos, (b) sem contarmos as áreas florestais que são derrubadas para produção da agropecuária, da venda de madeira, da expansão imobiliária, etc.; (c) o tráfico e caça de animais silvestres, mortos por conta de práticas ilícitas – levando, na maioria dos casos – a extinção das espécies, (d) uso exagerado da água no agronegócio e o desperdício urbano, etc. E isso, sem sombra de dúvidas, é um reflexo de um modelo fadado ao consumismo.

Nem tudo está por queda, há saídas e vem do Vaticano!

Leonardo Boff
A saída desse problema não pode ficar no truísmo, que são verdades que não precisam ser contestadas, como, por exemplo, “essas fábulas de maquiar histórias que reduzindo a taxa de natalidade resolveria o problema da extrema pobreza e da poluição”. Tudo precisa ser contestado e passado a limpo.

Ademais, como já provado, o problema não estar essencialmente e somente em reciclar e aproveitar tudo o que consumimos – certo que isso é importante para que não haja desperdício – o problema, na raiz, está na quantidade em que consumimos e produzimos, constantemente. Portanto, precisamos consumir menos e com mais responsabilidade, reaproveitando o máximo do que for reutilizável.

A Encíclica traz, com a participação decisiva dos estudos do brasileiro Leonardo Boff e o austríaco Erwin Kräutler, soluções quanto à erradicação da pobreza no planeta, propondo a todos os países e às grandes potências econômicas engajamento na causa, que se arrasta há anos sem o consentimento devido.

Leonardo Boff, assim como uma legião de ecólogos e ambientalistas, propõe “que a saída e a resolução do problema seria a adoção de outro modelo de produção e distribuição, o eco socialismo”. Um modelo que busca restaurar o modo de produção e distribuir igualmente, poluindo menos e garantindo a sobrevivência do planeta e de todos nós, seres humanos.

Por Matheus Rodrigues – Colaborador da Pascom e integrante da PJMP.

Links:
https://www.youtube.com/watch?t=114&v=OqQMJra20MQA hipocrisia dos ambientalistas

http://www.cnbb.org.br/imprensa-1/internacional/16727-nova-enciclica-do-papa-francisco-pede-conversao-ecologica - Nova Encíclica do papa Francisco pede conversão ecológica

 

http://www.suapesquisa.com/historia/guerra_do_golfo.htm - Guerra do Golfo


http://educacao.uol.com.br/disciplinas/biologia/poluicao-das-aguas-esgoto-petroleo-e-metais-pesados-ameacam-aguas.htm - Poluição das águas: Esgoto, petróleo e metais pesados ameaçam águas

http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,onu-populacao-mundial-e-de-7-2-bilhoes-de-pessoas,1042156ONU - População mundial é de 7,2 bilhões de pessoas


http://www.worldometers.info/pt/ - Medição dos gastos

E-mail Newsletter

Sign up now to receive breaking news and to hear what's new with our website!

Powered by Blogger.
back to top